A ESTAÇÃO IMAGEM, com o apoio da Câmara Municipal de Coimbra, atribui uma bolsa anual destinada à realização de um projecto documental sobre a região. O trabalho é publicado em livro e divulgado através de uma exposição. 

REPÚBLICA
Nuno André Ferreira

Espaços míticos em Coimbra, as repúblicas estudantis são casas que tiveram origem no século XIV e onde os alunos de várias universidades vivem em família. Ganharam fama e tradições próprias ao longo dos séculos. Nos anos 60, numa Europa repleta de lutas estudantis e reformas democráticas, as repúblicas de Coimbra assumiram um papel de liderança na política nacional. Defenderam a democracia tanto quanto a liberdade. Uma república destaca-se de outras casas para estudantes pelo seu objectivo de, mais do que estudar para disciplinas, procurar ensinar um "saber viver", um "saber fazer" e um "saber dizer", utilizando a vida boémia e o convívio para despertar o debate e a reflexão sobre temas mais complexos. Em Coimbra, há actualmente mais de duas dezenas de repúblicas em funcionamento, estando a quase totalidade das mesmas agrupadas no Conselho de Repúblicas (CR), que se reúne a pedido de qualquer das casas que o compõe e que toma decisões por unanimidade. Aquando da formação da república, é decidido se a esta aceita qualquer tipo de candidaturas ou apenas alunos de uma determinada universidade ou faculdade. Existem repúblicas que dão preferência a homens ou a mulheres ou a pessoas deslocadas, não sendo contudo critério obrigatório para a admissão. Depois de aceite por votação, o novo residente fica algum tempo à experiência, durante o qual tem o título de Plebeu, Candidato, ou outras, consoante a Casa, sendo mais tarde submetido uma votação, podendo então ser aceite como Repúblico, ou seja, residente permanente. O trabalho que me proponho fazer é sobre a(s) república(s) mais antiga(s) e mais tradicional(is) de Coimbra. Retratar a sua riqueza cultural e sobretudo o seu quotidiano e a forma como vivem na cidade de que fazem parte. O objetivo é identificar as Repúblicas ainda existentes na cidade de Coimbra e o que nelas há de mais genuíno, qual o seu papel na vida académica dos alunos de Coimbra e o que representam para a comunidade estudantil. Este trabalho seria por um ano letivo. Documentado em várias etapas. As histórias que que no seu interior acontecem. O convivio promovidos por elas. Uma imagem real e digna de dentro para fora como se eu próprio fosse um aluno residente. Seria como viver a vida estudantil. Este projeto será desenvolvido em várias fases do ano. Tentar ser uma especie de residente, mesmo que temporário. Em época de recepção de alunos, exames e de festividades académicas. A integração de alunos na academia bem como toda a sua envolvencia.